Archive for maio \30\UTC 2009

Amor paulistano

30/05/2009
Voltando do cinema com meu namorado, demos de cara com um casal de noivos, de limosine e tudo, tirando fotos na PaulistaxPamplona.

Voltando do cinema com meu namorado, demos de cara com um casal de noivos, de limosine e tudo, tirando fotos na PaulistaxPamplona.

(foto André Cassiano)

Reciclagem de aparelhos eletrônicos

28/05/2009

Já me perguntaram várias vezes onde jogar pilhas, celulares, monitores pifados de computador etc. Sempre fico meio na dúvida. As pilhas eu jogo num lixinho especial no meu trabalho e fico torcendo para que eles realmente descartem da maneira correta, os celulares eu dou para meu sobrinho brincar ou, se ainda estiverem ok, dôo para alguém.

eletrônicos

A boa notícia é que a USP deve inaugurar em agosto um centro público de reciclagem de lixo eletrônico, no campus da universidade. Os aparelhos descartados serão triados. Se puderem ser reaproveitados, vão para ONGs e projetos sociais. O resto vai para a reciclagem. O legal é que algumas coisas podem ser desmontadas para que se tire proveito dos metais e outras cositas que formam esses troços eletrônicos (sorry pela vulgaridade, mas meus conhecimentos em eletrônica se resumem a saber usar mais ou menos meus controles remotos, aumentar o volume do iPod e colocar a bateria quase sempre do lado certo dentro da máquina fotográfica).

No mesmo link, tem alguns endereços de lugares na cidade que já recebem esse tipo de lixo (e também aparelhos em bom estado que não usamos mais, claro).

Reciclar não é frescura, é apenas uma questão de tomada de consciência. E se ajudar outras pessoas, então, melhor ainda.

Nada como ser rosa na vida*

14/05/2009
Há duas semanas, logo ali, na av. Brasil.

Há duas semanas, logo ali, na av. Brasil.

* “Das Rosas”, Dorival Caymmi

O rei da Paulista

11/05/2009
Todo mundo tem seu dia de rei...

Todo mundo tem seu dia de rei...

Outro lado da virada

05/05/2009

Já que o assunto do último final de semana foi a Virada Cultural, vale a pena um derradeiro comentário sobre um outro lado da virada…uma virada furada. Você provavelmente já viu, ouviu e leu sobre o lixo e fedor que tomou conta das ruas durante a Virada, não é?

No sábado a noite tive uma visão estranha. A praça da República tomada por milhares pessoas, o som ao fundo de alguma música de rock. A minha intenção era atravessar a praça para chegar até o Largo do Arouche, mas não foi possível. A travessia foi uma verdadeira Odisséia, um empurra-empurra daqueles. Não havia mais divisão entre praça, calçada e asfalto. Infelizes daqueles que tentavam trafegar pelas ruas de carro. Pois enfim me deparei com tal visão. Mesmo com aquele mar de gente, de repente São Paulo pareceu uma cidade abandonada, vítima de um abandono repentino. Ônibus vazios enfileirados no meio da rua, no cruzamento com a República servindo como mictótio, de todos os lados,  o cheiro era forte e ruim, e muitos ainda subiam no teto do veículo… Só faltaram as janelas quebradas. Cenas escatológicas… uma visão de degradação.. . Não entendi também a falta de organização, afinal: porque aqueles ônibus estavam lá? Parados e abandonados? Será que não houve um sistema de horários e fechamento das ruas? Enquanto isso, uma sirene incansável tentava abrir espaço para um caminhão dos Bombeiros. No fim, todo esse trajeto me decepcionou e cansou. Esperava mais organização, limpeza e educação do pessoal. Claro que num evento deste tamanho, com tamanha aglomeração de pessoas,  certas coisas acabam sendo inevitáveis, mas, achei a do ano passado melhor, ao menos, mais convidativa! Público recorde, atrações recorde e lixo recorde. Até que ponto educação e cultura andam juntas?

Segue um link de uma reportagem becana feita pela Jovem Pan sobre o lixo que restou na cidade, e a outra é da Folha sobre o mal-cheiro e o colapso dos banheiros químicos :

Caldeirão

05/05/2009

sxc.huNo último fim de semana, aconteceu em São Paulo a Virada Cultural. Foram shows e performances artísticas para todos os gostos, sempre de graça. O evento acontece somente uma vez por ano.

Mas, mesmo no resto do ano, São Paulo não decepciona. São muitas as opções para quem gosta de cultura.

Música, cinema, leitura, museus, dança: queremos saber qual é a sua atividade cultural preferida. Vote na enquete ao lado – é possível selecionar mais de uma opção ou escrever outra. Os resultados serão divulgados no fim de maio.

Tarde de outono

05/05/2009

Só uma foto, para mostrar o dia lindo que está fazendo agora de tarde, aqui na Paulista. Adoro outono.

dsc093451

Virada cultural, outra visão

05/05/2009

Virada Cultural… grandes eventos, algumas expectativas.

Choro das três, Marcelo Camelo, Novos Baianos, Maria Rita e ainda um pouco de samba! Foram os eventos que eu pude ver na virada cultural. Os shows renderam muito entusiasmo dos artistas, que buscavam, a meu ver, entreter o público, que estava um pouco atordoado devido à multidão e ao cheiro extremamente desagradável de lixo e excremento nos chãos das ruas da capital. A qualidade dos eventos deixou a desejar, em relação ao ano passado. Mas sabe-se que o investimento no grande projeto cultural foi menos dispendioso, dessa vez.

Eu, tentando dar uma de réporter...

Eu, tentando dar uma de réporter...

Vamos à música:

Três irmãs: Cori, 21 anos, Lia, 18 e Elisa, 13. Tocam grandes clássicos do chorinho, acompanhadas do pai, Eduardo. As meninas, que tocam desde pequenas – Elisa começou aos 8 – sabem fazer funcionar vários instrumentos e mandam bem em qualquer improviso. Colada nos repórteres da ESPN Brasil, eu tentei entrevistar o grupo musical. O pai do trio revelou que sempre houve preocupação entre a família para que as filhas escutassem de tudo, “não apenas a música que tocava na televisão”. Plano que deu certo – o grupo faturou o prêmio APCA 2008 (Associação Paulista de Críticos de Artes), na categoria Música Popular, e subcategoria Grupo.

O show valeu, e a entrevista mais ainda! Para saber mais sobre as meninas, confira no próprio site do Choro das Três!

Um pedacinho de Camelo sob a vista de uma fã esmagada na multidão

Um pedacinho de Camelo sob a vista de uma fã esmagada na multidão

Marcelo Camelo embalou a noite dos enamorados e das fãs enlouquecidas. Além disso, os velhos admiradores de Los Hermanos marcaram presença para conferir o show que mostrou a um grande público as músicas do “recente” CD do artista. A namorada do cantor, Mallu Magalhães, que tem parceria com o artista na música Janta, estava lá no cantinho do palco e recebeu “carinho” de Camelo ao final do show – o que rendeu comentários de todos os tipos, como sabemos, claro!

Os novos baianos continuam elétricos! Baby do Brasil e seu cabelo rosa choque animaram o público variado que lotava a Avenida São João, palco dos principais shows. Infelizmente, Moraes Moreira não estava lá. E finalmente a nova condecorada “musa” da música popular brasileira, Maria Rita, fechou o ciclo de 24 horas de cultura.  E a virada se encerrou ao som de “Santa Chuva”, embalada com as vozes do público que se despedia de mais um grande evento da GRANDE São Paulo.

Virada Cultural: Show Geraldo Azevedo

04/05/2009

Ás sete horas da noite do dia 2 de maio resolvemos: Vamos na Virada Cultural!  Eu queria ver o Balé da Cidade, que se apresentou no Vale do Anhagabaú e arrastei meu namorado e minha irmã foram comigo. O discurso foi perfeito “é cobertura para o blog, mas vai ser divertido”. O jornalismo não me deixa nem nas horas de lazer.

Perdemos o Balé…só vi de longe algumas bailarinas de branco saltando no ar acompanhando o ritmo de uma música que não se fazia escutar. Fomos para o show do Geraldo  Azevedo na avenida São João, onde iríamos encontrar um casal de amigos.

Quinze minutos antes do show conseguimos nos espremer, razoavelmente perto do palco, entre uma multidão e as árvores na calçada. Geraldo começou pontualmente às 21h sua apresentação e animou o público com algumas de suas canções: Disparada, Dia Branco, Bicho de 7 cabeças, O princípio do prazer, Sabiá, Dona da minha Cabeça e Moça Bonita.

O público, em coro, cantava junto com o músico pernambucano, que dedicou Moça Bonita para as mulheres presentes. “Eu vou cantar para as mulheres, por que pelos homens eu não me inspiro de jeito nenhum”, disse  muito simpático Geraldo.

Espremida e agarrada no meu namorado, pude ver, escondida em seu abraço, uma moça de olhos azuis chorando quando o flautista anunciou a   música Bicho de 7  Cabeças. Além da maravilhosa interpretação, neste momento, erguidos por um guindaste, malabaristas dançavam no ar conforme a melodia.

O primeiro andar do prédio ao lado do palco parecia um camarote, onde dançavam duas crianças e uma mulher com um bebê no colo; um homem escala a grade da loja para fotografar o músico, enquanto uma moça, de vinte e poucos anos, sobe na árvore e se agarra nos galhos, em busca da melhor vista do palco. E todos cantam e dançam, por que é impossível não se permitir contagiar.

Após 1 hora de apresentação, a música de encerramento, Taxi Lunar, deixou um gostinho de quero mais, e até mesmo o cantor gostaria de ter atendido o pedido de bis: “Já estão me avisando que é pra encerrar o show…”

O final da melhor parte da minha Virada foi pegar, à beira mar, um táxi pra estação lunar…

Táxi Lunar – Geraldo Azevedo

Resultados da enquete de abril

03/05/2009

O assunto agora é a Virada Cultural, claro, mas, como virou o mês, vamos divulgar o resultado da enquete de abril.

Perguntamos o que nossos leitores achavam do projeto de lei que proíbe o fumo em lugares fechados no estado de São Paulo. Foram 20 votos:

– 75% (15 votos) apoiando a idéia,

– 5% (1 voto) repudiando o projeto e

– 15% (3 votos) indiferentes.

O último voto escolheu a opção “Outro”, sem especificar sua opinião…

Claro que esta pesquisa não é científica, não leva em conta amostragens da população, nem nada disso, então é apenas uma curiosidade. De qualquer forma, dá para concluir que nossos milhares de leitores preferem um ambiente sem fumaça.

Só para ressaltar, ainda falta algum tempo para que isso aconteça pra valer: a lei só entra em vigor 90 dias depois que o governador Serra sancionar o projeto.