Archive for the ‘eventos’ Category

Colorindo a Paulista

14/06/2009

Hoje a avenida Paulista foi o ponto de partida da 13a Parada do Orgulho Gay. A organização esperava 3,5 milhões de pessoas (os números finais ainda não foram divulgados). É muita gente, o que credencia a Parada paulistana como a maior do gênero no mundo. Além disso, é o segundo evento mais importante para o turismo de SP, perdendo apenas para a Fórmula 1. Isso quer dizer muitos turistas, hotéis e restaurantes lotados, um monte de eventos paralelos e, claro, bastante dinheiro circulando.

Moro perto da Paulista e da minha casa dava para ouvir a batida da música eletrônica dos trios elétricos. Fui, junto com a minha mãe, dar uma espiadinha no evento. Tiramos algumas fotos.

Desde 2005, quando me mudei para cá, vou ver a Parada. É sempre bacana, gente alegre, colorida, muita música e alegria. Neste ano, foram registradas mais brigas do que nos anos anteriores. É uma pena que aconteça esse tipo de coisa, que não combina com o espírito da festa.

Abaixo, algumas fotos tiradas por mim e pela minha mãe. No Flickr do Paulistando, tem diversas outras. Vale a pena dar uma olhada.

Parada Gay 2009

Drag queen

Mulher Uva

Por um mundo mais colorido

08/06/2009
As cores do arco-íris que irão vestir a Avenida Paulista

As cores do arco-íris que irão vestir a Avenida Paulista

As cores do ARCO-ÍRIS irão invadir novamente a avenida Paulista: no dia 14 de junho, próximo domingo, acontece a 13° Parada do Orgulho LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais). O tema deste ano é “Sem Homofobia, Mais Cidadania – Pela isonomia dos direitos” em apoio à luta pela aprovação do projeto de lei que tornará crime a homofobia.

O percurso da parada terá início no Masp, às 12h, e os participantes serão conduzidos por diversos trios elétricos até a praça Roosevelt. Segundo a  APOGLBT , – Associação da Parada e do Orgulho de Gays Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transsexuais – organizadora do evento, são esperadas 3,5 milhões de pessoas.

Além da passeata, até o dia 19 de junho, serão realizadas palestras, feira cultural e diversos seminários. No Conjunto Nacional, nos dias 8, 9 e 10, 1 milhão de preservativos serão distribuidos e testes rápidos de HIV serão feitos gratuitamente. O atendimento estará aberto ao público das 10h às 19h.

Programação da Parada

Outro lado da virada

05/05/2009

Já que o assunto do último final de semana foi a Virada Cultural, vale a pena um derradeiro comentário sobre um outro lado da virada…uma virada furada. Você provavelmente já viu, ouviu e leu sobre o lixo e fedor que tomou conta das ruas durante a Virada, não é?

No sábado a noite tive uma visão estranha. A praça da República tomada por milhares pessoas, o som ao fundo de alguma música de rock. A minha intenção era atravessar a praça para chegar até o Largo do Arouche, mas não foi possível. A travessia foi uma verdadeira Odisséia, um empurra-empurra daqueles. Não havia mais divisão entre praça, calçada e asfalto. Infelizes daqueles que tentavam trafegar pelas ruas de carro. Pois enfim me deparei com tal visão. Mesmo com aquele mar de gente, de repente São Paulo pareceu uma cidade abandonada, vítima de um abandono repentino. Ônibus vazios enfileirados no meio da rua, no cruzamento com a República servindo como mictótio, de todos os lados,  o cheiro era forte e ruim, e muitos ainda subiam no teto do veículo… Só faltaram as janelas quebradas. Cenas escatológicas… uma visão de degradação.. . Não entendi também a falta de organização, afinal: porque aqueles ônibus estavam lá? Parados e abandonados? Será que não houve um sistema de horários e fechamento das ruas? Enquanto isso, uma sirene incansável tentava abrir espaço para um caminhão dos Bombeiros. No fim, todo esse trajeto me decepcionou e cansou. Esperava mais organização, limpeza e educação do pessoal. Claro que num evento deste tamanho, com tamanha aglomeração de pessoas,  certas coisas acabam sendo inevitáveis, mas, achei a do ano passado melhor, ao menos, mais convidativa! Público recorde, atrações recorde e lixo recorde. Até que ponto educação e cultura andam juntas?

Segue um link de uma reportagem becana feita pela Jovem Pan sobre o lixo que restou na cidade, e a outra é da Folha sobre o mal-cheiro e o colapso dos banheiros químicos :

Virada Cultural: Show Geraldo Azevedo

04/05/2009

Ás sete horas da noite do dia 2 de maio resolvemos: Vamos na Virada Cultural!  Eu queria ver o Balé da Cidade, que se apresentou no Vale do Anhagabaú e arrastei meu namorado e minha irmã foram comigo. O discurso foi perfeito “é cobertura para o blog, mas vai ser divertido”. O jornalismo não me deixa nem nas horas de lazer.

Perdemos o Balé…só vi de longe algumas bailarinas de branco saltando no ar acompanhando o ritmo de uma música que não se fazia escutar. Fomos para o show do Geraldo  Azevedo na avenida São João, onde iríamos encontrar um casal de amigos.

Quinze minutos antes do show conseguimos nos espremer, razoavelmente perto do palco, entre uma multidão e as árvores na calçada. Geraldo começou pontualmente às 21h sua apresentação e animou o público com algumas de suas canções: Disparada, Dia Branco, Bicho de 7 cabeças, O princípio do prazer, Sabiá, Dona da minha Cabeça e Moça Bonita.

O público, em coro, cantava junto com o músico pernambucano, que dedicou Moça Bonita para as mulheres presentes. “Eu vou cantar para as mulheres, por que pelos homens eu não me inspiro de jeito nenhum”, disse  muito simpático Geraldo.

Espremida e agarrada no meu namorado, pude ver, escondida em seu abraço, uma moça de olhos azuis chorando quando o flautista anunciou a   música Bicho de 7  Cabeças. Além da maravilhosa interpretação, neste momento, erguidos por um guindaste, malabaristas dançavam no ar conforme a melodia.

O primeiro andar do prédio ao lado do palco parecia um camarote, onde dançavam duas crianças e uma mulher com um bebê no colo; um homem escala a grade da loja para fotografar o músico, enquanto uma moça, de vinte e poucos anos, sobe na árvore e se agarra nos galhos, em busca da melhor vista do palco. E todos cantam e dançam, por que é impossível não se permitir contagiar.

Após 1 hora de apresentação, a música de encerramento, Taxi Lunar, deixou um gostinho de quero mais, e até mesmo o cantor gostaria de ter atendido o pedido de bis: “Já estão me avisando que é pra encerrar o show…”

O final da melhor parte da minha Virada foi pegar, à beira mar, um táxi pra estação lunar…

Táxi Lunar – Geraldo Azevedo

Virada à paulistana

01/05/2009

A 5° edição da Virada Cultural começa amanhã dia 2 de maio às 18 horas e vai até às 18 horas do dia seguinte. Serão 24 horas de apresentações de teatro, música, dança, além de exposições, cinema e perfomances circenses. E o melhor de tudo, todos os eventos são gratuitos.

Entre as variadas atrações a novidade fica por conta da apresentações de grupos franceses, já que 2009 é o ano da França no Brasil. Hoje, dia 1 de maio, às 22 horas, antes da largada para 24 horas multicultural, haverá o espetáculo do grupo francês Carabosse, no palco do Jardim da Luz. Música, vídeo e fogo fazem parte desta apresentação.

Para quem não está convencido em participar da Virada, os principais shows são de Maria Rita claro que eu vou, Zeca Baleiro, Tom Zé, Marcelo Camelo, Francis Hime, CPM22, Wando e Odair José. No site oficial da Virada é possível conferir todas as atrações dos centros culturais das regiões centro, norte, sul, leste e oeste. Também é possivel montar uma agenda pessoal com os eventos preferidos, explicando o endereço e como chegar. Dê preferência ao transporte público, que funcionará normalmente durante a madrugada.

Agora que o recado foi dado, é só aproveitar esse fim de semana especial. Depois conto como foi a minha virada!

Afinal, para que visão se é fechando os olhos que sentimos?

21/04/2009

img_16461Para falar a verdade, não entendo muito de música. O pouco que sei, um querido tio me ensinou, mas infelizmente o tempo, a vida, não nos foram suficientes. Tenho até hoje as partituras que ele me deu.  Meu tio avô Sebastião me ensinou a gostar de música clássica, e é claro, os anos de balé clássico contribuíram, e muito. Algumas composições e óperas nas vozes Pavarotti, Plácido Domingos e até mesmo Bocelli já tinham lugar garantido na track list do meu Mp3.

É difícil explicar como e por quê uma música te faz chorar, arrepiar de emoção. Foi justamente por isso que resolvi ficar em São Paulo neste feriado, não podia perder o show de Andrea Bocelli.

Adoro esta São Paulo de shows gratuitos, que fornece a todos a oportunidade de estar diante de algo, em minha opinião, tão especial.  Por outro lado, confesso também que shows gratuitos e  aquela multidão toda não são lá as coisas que mais amo na vida, mas, a vontade de poder ouvir e sentir aquela voz ao vivo era maior que tudo, mais até do que a dúvida que me surgiu quando vi aquele céu nublado.

E entre as 25 mil pessoas, tietes da Ivete (cuja gravidez de quatro meses foi assumida), fãs de Toquinho, crianças chorando e jogando game boy totalmente alheias ao espetáculo, estava eu lá, no meio da multidão, ansiosa por Con te Partiro. Liguei até mesmo para minha avó para que ela pudesse escutá-lo. Mesmo sendo uma grande fã de ópera, não arredou o pé de sua casa em Mogi Mirim para ver o tenor.

Valeram as duas baldeações de metrô, o trânsito e o táxi com bandeira 2 até o Parque da Independência. Valeu também enfrentar toda aquela aglomeração em busca de um espaço, de onde pude acompanhar a apresentação pelo telão instalado à esquerda do palco. Só não valeu o helicóptero que sobrevoava o parque fazer tanto barulho, a ponto de impedir que o som pudesse ser ouvido por quem estava muito longe do palco, aliás, poderia ter havido mais caixas de som ao longo da platéia.

 

Até a próxima…Virada Cultural está chegando…

 
  

Bienal de Design

13/04/2009

De 07 de março a 17 de maio acontece em São Paulo, no Centro Cultural São Paulo, a Bienal do Design Gráfico. Em sua nona edição, os realizadores do evento, membros da Associação dos Designers Gráficos do Brasil (ADG Brasil) buscaram tornar disponíveis espaço para a reflexão e desenvolvimento das ideias, propondo soluções em comunicação.

Compondo um tradicional catálogo, a ADG Brasil procurou mudar o enfoque da produção esse ano e publicou análises e reflexões mais aprofundadas sobre as diversas categorias descritivas do design. Isso aproximou o trabalho deles a um público de estudantes e pesquisadores, que antes tinham menos fontes para suas pesquisas.

No lugar dos júris, a seleção dos trabalhos apresentados no evento foi feita por curadores, especializados no assunto.

‘O desafio proposto para a edição da 9ª Bienal Brasileira de Design Gráfico é estimular a análise e a compreensão do design gráfico contemporâneo, que se tornou um dos principais vetores da economia, com consequências estratégicas nas empresas e na sociedade.’ CECILIA CONSOLO – Curadora Geral.

Poster de apresentação do evento

Poster de apresentação do evento

 

Jovens designers foram conferir a bienal. Veja o que eles têm a falar a sobre a visita:

 

Como essa bienal pode aproximar leigos, assim como estudantes, do design?

“Acho que a idéia é transformar a percepção das pessoas, tornando-as críticas, indicando não só pra quem é da área, como também para interessados em geral e curiosos. Isso faz com que o design cresça.” Willians Fabian, 22, designer experiente em produção de trabalhos no exterior.

 

“As pessoas que não sabem definir design passarão a entender melhor esse conceito, que não se refere a apenas “rabiscos” e sim a desenhos que podem representar inúmeros fatos, independente da área de que se tratar.” Átila Rossito, designer de produto graduado pela Universidade do Norte do Paraná (Unopar).

 

Como você considera que o design pode contribuir com o mundo?

“O designer influencia a ação do seu cliente, então pode contribuir com o mundo dando sugestões: ele sugere investir em um material reciclável, assim ele faz sua contribuição. É meio que a filosofia das formiguinhas, é um movimento pequeno, mas todos juntos temos um movimento maior.” Willians.

 

Quais os benefícios trazidos pelo design, desde que não analisemos o âmbito mercadológico da área?

“Usando o design na identidade da empresa, as pessoas passam a enxergá-la como inovadora, coerente com as tendências. O design também direciona a empresa a oferecer um serviço que atrai o consumidor.” Willians.

Sem analisar o âmbito mercadológico, o design trata de uma ferramenta comunicadora, que influencia e é influenciada. Ele pode expor um ponto de vista positivo, por exemplo, e ser um agente modificador para que haja uma reflexão por parte do receptor da mensagem. Quanto à análise do âmbito mercadológico, isso é fundamental. O designer deve estar totalmente ciente da cadeia sistêmica que envolve a criação de um produto, e deve prezar para que esta cadeia seja sustentável, promovendo um mercado (por conseguinte uma sociedade) com prioridades sociais e ecológicas.” Thiago Calza, 23, designer gráfico graduado pela Universidade do Norte do Paraná (Unopar).

 

O designer Thiago Calza confere o que há de novo na Bienal de Design.

O designer Thiago Calza confere o que há de novo na Bienal de Design.

 

 

 

Finalmente, em sua opinião, qual a importância dessa união da área gráfica com a comunicação? Como se pode fazer um arranjo a fim de beneficiar ambas as áreas?

“O design é um elemento fundamental na comunicação, entende-se por design a melhoria dos aspectos, de modo a atender às necessidades do cliente. Isso é comunicação.” Willians.

Fazer design já é comunicar. E o desafio do design gráfico é exatamente este: comunicar bem e ser estético, belo. Se o designer é eficiente em sua comunicação com o seu públicoalvo, a missão foi cumprida. O design e a comunicação, vistos como disciplinas, devem dialogar a fim de se manterem atualizados, descobrindo, re-descobrindo e por que não (se forem boas), mantendo linguagens.” Thiago Calza.

 

Pra quem quiser saber mais sobre o trabalho dos meninos, é só passar a visitar os blogs e sites:

http://www.flickr.com/photos/36402380@N05/  Átila Rossito

http://www.flickr.com/photos/thiagocalza/     Thiago Calza

http://www.movlove.com.br/                          Willians Fabian

 

Alguns trabalhos apresentados no evento.

Alguns trabalhos apresentados no evento.

 

 

 

O site official da Associação é: http://www.adg.org.br/texto_bienal.php?id_noticia=735

 

Valeu galera,

Julia Corradi